domingo, 30 de novembro de 2008

Sábado de chuva

1 - Infelizmente (ou felizmente), ninguém tem memória cinematográfica, no sentido de lembrar pra sempre exatamente de uma cena com imagens e sons nítidos. Na maioria das vezes, mesmo dos momentos inesquecíveis, ficam apenas as sensações que tivemos. Tudo o que foi capturado por nossos sentidos fica misturado e a gente reproduz uma imagem criada pela nossa mente, que nem sempre é identica ao que realmente aconteceu. Pode ser melhor ou pior.
2 - A maior beleza está nos momentos mais simples, para quem consegue ver. Como uma tarde chuvosa de sábado, quando dois caras se juntam para tocar e cantar sentados na escadaria de uma praça. Só quem teve a sorte de presenciar sabe o que é isso. E o que fez a gente sentir...
A imagem embaçada pode não parecer boa, nem o som, nem o tempo, nem o lugar. Mas a sensação que ficou é muito, muito boa. Uma vontade de agradecer por estar viva e poder ver aquilo acontecer.


Um comentário:

Pri disse...

Não acredito que fui embora às sete da manhã!! hahahahah