sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Não acreditei!

Esses dias a Nicole, que eu não conhecia, passou por aqui, disse que gostou do blog e falou pra eu entrar no dela. É um blog bem bacana sobre moda, comportamento, arte, etc chamado Moose. Hoje eu entrei lá e vi num post uma outra ótima notícia sobre um filme que vai estreiar. Um filme que não tem nada a ver com o do Domingos de Oliveira, mas que eu já queria assistir há uns três anos, quando ele nem tinha começado a ser feito ainda.
Tudo começou quando a minha amiga Carol me emprestou um livro, grosso, de capa rosa com um monte de sacolas desenhadas, chamado Delírios de Consumo de Becky Bloom. Na época, eu trabalhava do lado do shopping Villa-Lobos e costumava deixar todo o meu salário nas lojas de lá. As vendedoras sabiam meu nome, me ligavam quando chegavam peças novas que elas achavam parecidas comigo e quando tinha troca de coleção eu já marcava no catálogo as peças que queria pra elas me avisarem quando chegasse. Era uma falida, mas muito bem vestida.
E quando eu conheci a Becky Bloom me identifiquei de cara com ela. É uma jornalista inglesa de uns vinte e poucos anos que trabalha em uma revista de finanças, dando conselhos de economia pessoal para pessoas que querem ter uma vida financeira equilibrada. Mas ela é uma compradora compulsiva que não pode ver uma liquidação e acha que todas as suas loucuras consumistas são ótimos investimentos. Vive completamente endividada e sofre com a situação, mas não resiste a um sapato novo. Ela acaba se metendo em situações engraçadíssimas, fugindo do gerente do banco, entrando em saia-justa no trabalho, tentando achar jeitos mirabolantes pra pagar o cartão de crédito.
Depois ainda vieram
Becky Bloom - Delírios de consumo na 5ª Avenida, As listas de casamento de Becky Bloom, A irmã de Becky Bloom e O bebê de Becky Bloom (esse último eu não li).
E finalmente o filme vai estreiar, acho que em abril.
Tá meio longe ainda, mas eu já sei que vou na estréia e sei que vou com aminha amiga Rafa! Essas histórias eram muito a nossa cara!
Imagino que o filme deva ser no estilo de O diário de Brigdet Jones, que eu não gostei nada. Mas acho que é porque eu nunca fui gorda.
A definição que ela dá no começo do trailler de como se sente quando vê uma loja é ótima! E ela criança olhando pro sapato na vitrine e falando dos cartões mágicos também!




2 comentários:

NicoleD. disse...

todas as consumistas aguardando ansiosamente o filme-retrato-biografia de nossas vidas sair no cinema!

beijo!
adorei o post!

Pollyana Barbarella disse...

Hahaha
Essa estréia vai bombar!
Que bom que gostou!
Beijos